ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA CRIANÇAS COM DOENÇA RENAL UTILIZANDO INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: REVISÃO SISTEMÁTICA

Autores

  • Aglauvanir Soares Barbosa Universidade Estadual do Ceará, UECE, Brasil https://orcid.org/0000-0003-4909-563X
  • Paula Frassinetti Castelo Branco Camurça Fernandes Hospital Universitário Walter Cantídio, HUWC, Brasil https://orcid.org/0000-0002-7442-301X
  • Emanuela Silva Oliveira Secretaria Municipal de Saúde, SMS, Itapipoca, Ceará, Brasil
  • Frederico Almeida Muniz Universidade Estadual do Ceará, UECE, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.25191/recs.v9i1.767

Palavras-chave:

Educação em saúde, Crianças, Inteligência artificial, Revisão sistemática, Doença renal

Resumo

Objetivou-se analisar estudos que relatam sobre estratégias de educação em saúde para crianças usando inteligência artificial. Trata-se de uma revisão sistemática, com busca nas bases de dados: Pubmed, SCOPUS, Lilacs e Web of Science, com os descritores controlados: “children”, “health”, “Kidney Diseases” e “artificial intelligence”. O cruzamento dos descritores foi realizado com auxílio do operador booleano AND e/ou OR. A busca nas bases de dados gerou 304 artigos, dos quais 189 foram excluídos por estarem duplicados. Dos 60 artigos selecionados para a leitura do título e resumo, apenas 21 atenderam aos critérios, e após leitura na íntegra, foram incluídos 09 artigos. Os estudos mencionados destacam o potencial significativo do uso da inteligência artificial na melhoria do controle inibitório e na reabilitação da memória em pacientes com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Em síntese, tais descobertas ressaltam a relevância do contínuo desenvolvimento de intervenções pautadas na tecnologia, as quais oferecem perspectivas promissoras para aprimorar a qualidade de vida e o potencial de indivíduos no contexto da dinâmica saúde-doença. Certifica-se com este estudo que estratégias de ensino empregando inteligência artificial viabilizam a compreensão e a aquisição de conhecimento por parte dos pacientes em uma ampla gama de contextos relacionados à saúde e à doença.

Referências

ARROIO, L. F. G. et al. Desenvolvimento e validação de conteúdo de um website para pacientes com doença arterial coronariana. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 76, n. 1, p. e20220302, 2023.

BARRETO, I. C. D. H. C. et al. Desenvolvimento e avaliação do protótipo da aplicação GISSA ChatBot Mamãe-Bebê para promoção da saúde infantil. Ciência & Saúde Coletiva, v. 26, n. 5, p. 1679-1690, 2021.

BERAN, T. N. et al. Reducing children’s pain and distress towards flu vaccinations: A novel and effective application of humanoid robotics. Vaccine, v. 31, n. 25, p. 2772-2777, 2013.

COCHRANE Handbook for Systematic Reviews of Interventions. Training, [20--]. Disponível em: https://training.cochrane.org/handbook. Acesso em: 11 nov. 2023.

DE LUCA, G. C. Revisões sistemáticas da literatura: guia prático. 1. ed. Curitiba: Brazil Publishing, 2020.

DISETH, T. H. et al. Kidney transplantation in childhood: mental health and quality of life of children and caregivers. Pediatr Nephrol., v. 26, n. 10, p. 1881-1892, 2011.

DOMINGUES, A. N.; JESUS, I. T. M. de; ZEM-MASCARENHAS, S. H. Informática na Educação em Saúde e Enfermagem: análise dos grupos de pesquisa. Journal of Health Informatics, v. 9, n. 1, p. 19-24, 2017.

ENTENBERG, G. A. et al. AI-based chatbot micro-intervention for parents: Meaningful engagement, learning, and efficacy. Front Psychiatry, v. 14, 2023.

GUPTA, R. et al. Artificial intelligence to deep learning: machine intelligence approach for drug discovery. Molecular Diversity, v. 25, n. 3, p. 1315-1360, 2021.

LARENTZAKIS, A.; LYGEROS, N. Artificial intelligence (AI) in medicine as a strategic valuable tool. The Pan African Medical Journal, v. 38, 2021.

LOGAN, D. E. et al. Social Robots for Hospitalized Children. Pediatrics, v. 144, n. 1, p. e20181511, 2019.

MCGOWAN, J. et al. PRESS Peer Review of Electronic Search Strategies: 2015 Guideline Statement. Journal of Clinical Epidemiology, v. 75, p. 40-46, 2016.

MEDINA, R. et al. Electrophysiological Brain Changes Associated With Cognitive Improvement in a Pediatric Attention Deficit Hyperactivity Disorder Digital Artificial Intelligence-Driven Intervention: Randomized Controlled Trial. Journal of Medical Internet Research, v. 23, n. 11, p. e25466, 2021.

NOGUEIRA, A. O uso da inteligência artificial como ferramenta de apoio à gestão das ações em saúde na secretaria de estado da saúde de goiás. Revista Científica da Escola Estadual de Saúde Pública de Goiás “Cândido Santiago”, v. 8, p. 1- 15, 2022.

PAGE, M. J. et al. The PRISMA 2020 statement: an updated guideline for reporting systematic reviews. Rev Esp Cardiol (Engl Ed)., v. 74, n. 9, p. 790-799, 2021.

SEOL, H. Y. et al. Artificial intelligence-assisted clinical decision support for childhood asthma management: A randomized clinical trial. PloS One, v. 16, n. 8, p. e0255261, 2021.

STERNE, J. A. C. et al. RoB 2: a revised tool for assessing risk of bias in randomised trials. BMJ (Clinical research ed.), v. 366, p. l4898, 2019.

VOSS, C. et al. Effect of Wearable Digital Intervention for Improving Socialization in Children With Autism Spectrum Disorder. JAMA Pediatrics, v. 173, n. 5, p. 446-454, 2019.

WANG, Q.; NG, S.; ZHOU, X. The mechanism and effectiveness of mindfulness-based intervention for reducing the psychological distress of parents of children with autism spectrum disorder: a protocol of randomized control trial of ecological momentary intervention and assessment. PLOS ONE, v. 18, n. 9, p. e0291168, 2023.

Downloads

Publicado

16-05-2024

Como Citar

BARBOSA, A. S.; FERNANDES, P. F. C. B. C.; OLIVEIRA, E. S.; MUNIZ, F. A. ESTRATÉGIAS DE EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA CRIANÇAS COM DOENÇA RENAL UTILIZANDO INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL: REVISÃO SISTEMÁTICA. Revista Expressão Católica Saúde, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 44–56, 2024. DOI: 10.25191/recs.v9i1.767. Disponível em: http://publicacoes.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/recs/article/view/767. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão de Literatura