PERFIL DO USO DE PSICOFÁRMACOS: PERCEPÇÕES DO SANITARISTA SOBRE O CUIDADO EM SAÚDE MENTAL COLETIVA NO TERRITÓRIO

Autores

DOI:

https://doi.org/10.25191/recs.v7i2.68

Palavras-chave:

Psicotrópicos, Saúde Mental, Atenção Primaria à Saúde, Farmacoepidemiologia

Resumo

O atual crescimento de diagnósticos e queixas relacionadas a transtornos psíquicos gera consequentemente um aumento da utilização de psicofármacos. A rede de atenção à saúde desempenha um papel articulador no acolhimento, diagnóstico e acompanhamento de diferentes afecções relacionadas a saúde mental. O estudo objetivou analisar a concepção do cuidado em saúde mental coletiva através da análise do perfil epidemiológico dos usuários de psicofármacos em uma Unidade de Atenção Primaria a Saúde de Quixadá-CE. Tratou-se de um estudo documental descritivo transversal com abordagem qualiquantitativa, onde foram utilizados prontuários de controle especial (n=134), abertos entre janeiro de 2019 a dezembro de 2020. Dos principais resultados, o perfil dos usuários de psicofármacos na unidade de saúde estudada é, majoritariamente, feminino (57,46%), com maior representatividade de (38-67) anos. Grande parte das variantes analisadas mostraram-se sem registros, como estado civil em (74,62%) e profissão/ocupação em (83,58%). Houve predominância de grupo farmacológico de antidepressivos e ansiolíticos, o diagnóstico médico associado à prescrição de tais medicamentos estava ausente em (54,47%), dentre os preenchidos, os mais relatados foram a ansiedade (15,67%), e depressão (14,92%). Cerca de (70,89%) dos usuários não possuíam registro de acompanhamento em outro serviço especializado. Concluiu-se que, viabilizar informações sobre esse perfil de pacientes é benéfico para gestão da qualidade dos serviços de saúde, iniciativas além da medicalização do sofrimento e renovação de receitas precisam ser tomadas com maior frequência, apostar em outras linhas de cuidado é fundamental para garantia da saúde do território.

Referências

BARROS, M. B. de A. et al. Relato de tristeza/depressão, nervosismo/ansiedade e problemas de sono na população adulta brasileira durante a pandemia de COVID-19. Epidemiologia e Serviços de Saúde, v. 29, p. e2020427, 2020.

BEZERRA, H. de S. Prevalência e fatores associados aos transtornos mentais e ao acesso aos serviços de saúde mental. 2021. 195 f. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) – Centro de Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2021.

BIZUTI, M. R.; ALMEIDA, M. E. de. Saúde e Democracia no Brasil em Tempos de Pandemia da Covid-19. Revista Portal: Saúde e Sociedade, v. 6, p. e02106047-e02106047, 2021.

BOAVENTURA, M. A. et al. Doenças mentais mais prevalentes no contexto da atenção primária no Brasil: uma revisão de literatura Most prevalent mental diseases in the context of primary care in Brazil: a literature review. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 5, p. 19959-19973, 2021.

BONI, B. S. et al. O uso de psicofármacos e/ou psicotrópicos: Uma revisão integrativa. New Trends in Qualitative Research, v. 8, p. 880-889, 2021.

CLARO, M. P. et al. Perfil de prescrição de psicotrópicos em uma unidade básica de saúde do Paraná. Brazilian Journal of Development, v. 6, n. 7, p. 44451-44465, 2020.

FERNANDES, F. de P. et al. Atenção primária à saúde: práticas profissionais diferenciadas (Arapixuna, Santarém-Pa). 2019. 204 f. Tese (Doutorado em Sociedade, Natureza e Desenvolvimento) – Universidade Federal do Oeste do Pará, Santarém, 2019.

FILARDI, A. F. R. et al. Medicalização da vida nas práticas vinculadas à estratégia saúde da família. Revista Latinoamericana de Psicopatologia Fundamental, v. 24, p. 421-445, 2021.

GERBALDO, T. B. et al. Avaliação da organização do cuidado em saúde mental na atenção básica à saúde do Brasil. Trabalho, Educação e Saúde, v. 16, p. 1079-1094, 2018.

LEÃO, F. V. G. et al. Uso de psicofármacos trabalhadores em laboral por transtornos mentais. Einstein (São Paulo), v. 19, p. eAO5506, 2021.

LIMA, D. K. R. R.; GUIMARÃES, J. Articulação da Rede de Atenção Psicossocial e continuidade do cuidado em território: problematizando possíveis relações. Physis: Revista de Saúde Coletiva, v. 29, n. 3, 2019.

LIMA, R. R. Medicalização da sociedade e suas relações com a indústria cultural. Revista Educação, Psicologia e Interfaces, v. 4, n. 3, 2020.

LIMA, T. N.; SOUSA, M. N. A. de. Uso Abusivo de Psicotrópicos e Fatores Associados com a Má Utilização na Atenção Primária à Saúde/Abuse of Psychotropics and Factors Associated with Misuse in Primary Health Care. ID on-line Revista de psicologia, v. 15, n. 54, p. 92-103, 2021.

MACHADO, C. S. Estresse e trabalho: aproximações com a psicodinâmica do trabalho. 2020. 113 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2020.

MANGOLINI, V. I. et al. Epidemiologia dos transtornos de ansiedade em regiões do Brasil: uma revisão de literatura. Revista de Medicina, v. 98, n. 6, p. 415-422, 2019.

MORAIS, L. G. de A. et al. Saúde mental: o papel da atenção primária à saúde. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 3, p. 10475-10489, 2021.

MORAIS, S. S. F. de; SILVA, M. G. C. da. Temas de economia da saúde IV: Contribuição para a gestão do SUS. Fortaleza: EdUECE; 2018. 420 p.

MOREIRA, D. J.; BOSI, M. L. Qualidade do cuidado na Rede de Atenção Psicossocial: experiências de usuários no Nordeste do Brasil. Physis: Revista de saúde coletiva, v. 29, n. 2, 2019.

NACAMURA, P. A. B. et al. Uso de psicotrópicos por pessoas idosas com hipertensão: prevalência e fatores associados. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia, v. 24, n. 2, 2021.

NARCISO, T. da S. et al. AVALIAÇÃO DO USO DE PSICOFÁRMACOS EM PACIENTES ATENDIDOS EM UM CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL. Revista Expressão Católica Saúde, v. 5, n. 1, p. 18-26, 2020.

PEREIRA JÚNIOR, A. do C. Interações Medicamentosas, transtornos mentais comuns e uso de psicofármacos na Atenção Primária à Saúde: reflexo na qualidade de vida. 2019. Tese (Doutorado em Enfermagem Psiquiátrica) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2019.

QUEIROZ, V. D. de C. Saúde Mental e Atenção Primária em Saúde: Uma Interface Necessária. 1. ed. Curitiba: Editora Appris, 2021.

QUEMEL, G. K. C. et al. Revisão integrativa da literatura sobre o aumento no consumo de psicotrópicos em transtornos mentais como a depressão. Brazilian Applied Science Review, v. 5, n. 3, p. 1384-1403, 2021.

RIGOLDI, V. D. R. M. arinho; MOZANER, V. C. Reconhecimento dos vulneráveis e direito ao desenvolvimento na era digital. 1. ed. Editora CRV: 2021.

ROCHA, A. C. et al. Sofro, logo me Medico: A Medicalização da Vida como Enfrentamento do Mal-Estar/I Suffer, therefore, i use Self-Medication: The Medicalization of Life as a Coping with Malaise. ID on-line Revista de psicologia, v. 13, n. 46, p. 392-404, 2019.

ROCHA, R. C. de S. D. et al. Construindo interfaces da atenção psicossocial na atenção primária à saúde: um relato da experiência na residência multiprofissional em saúde da família. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, v. 13, n. 34, p. 54-66, 2021.

ROTOLI, A. et al. Saúde mental na Atenção Primária: desafios para a resolutividade das ações. Escola Anna Nery, v. 23, n. 2, 2019.

SAMPAIO, M. L.; BISPO JÚNIOR, J. P. Rede de Atenção Psicossocial: avaliação da estrutura e do processo de articulação do cuidado em saúde mental. Cadernos de Saúde Pública, v. 37, n. 3, p. e00042620, 2021.

SANINE, P. R.; SILVA, L. I. F. Saúde mental e a qualidade organizacional dos serviços de atenção primária no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 37, n. 7, p. e00267720, 2021.

SOUZA, I. J. de et al. Avaliação de Serviços de Atenção Psicossocial no Brasil: uma revisão integrativa de literatura. Cadernos Brasileiros de Saúde Mental/Brazilian Journal of Mental Health, v. 13, n. 37, p. 91-112, 2021.

Downloads

Publicado

16-03-2023

Como Citar

OLIVEIRA, A. K. de S.; PINHEIRO, L. S.; CARVALHO, M. M. B.; HAUSCHILDT, A. T. PERFIL DO USO DE PSICOFÁRMACOS: PERCEPÇÕES DO SANITARISTA SOBRE O CUIDADO EM SAÚDE MENTAL COLETIVA NO TERRITÓRIO. Revista Expressão Católica Saúde, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 45–54, 2023. DOI: 10.25191/recs.v7i2.68. Disponível em: http://publicacoes.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/recs/article/view/68. Acesso em: 21 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos de Revisão de Literatura