CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DE ENFERMEIROS ACERCA DA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA HANSENÍASE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA

Autores

  • Stefany Martins Dias Centro Universitário do Vale do Araguaia, UNIVAR, Brasil
  • Marcos Vítor Nave Carrijo Centro Universitário do Vale do Araguaia, UNIVAR, Brasil
  • Andréia Correia de Souza Cioffi Centro Universitário do Vale do Araguaia, UNIVAR, Brasil https://orcid.org/0000-0003-2396-9343

DOI:

https://doi.org/10.25191/recs.v9i1.663

Palavras-chave:

Hanseníase, Conhecimento, atitude e prática, Atenção Primária, Capacitação em Enfermagem

Resumo

A hanseníase é considerada uma doença negligenciada em consequência do seu potencial de eliminação e o alto número de pessoas infectadas. Na unidade básica de saúde, o enfermeiro atua diretamente no cuidado integral aos pacientes, desde o diagnóstico até a conclusão do tratamento. Objetivou-se avaliar o conhecimento, atitude e prática dos enfermeiros atuantes da Estratégia de Saúde da Família, acerca da prevenção e tratamento da hanseníase. Trata-se de um estudo transversal, analítico, com abordagem quantitativa. A amostra foi composta por enfermeiros, utilizou-se um questionário semiestruturado e validado. Os dados foram armazenados no programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences, versão 20.0. Utilizou-se o teste qui-quadrado de Pearson, com nível de significância de 5%. Encontrou-se como resultados, idade média de 37,1 anos, com 82% do sexo feminino, 76% já realizaram capacitação em Hanseníase. Acerca do conhecimento obteve fragilidade de 88% referente classificação dos casos. Quanto à atitude 94% concordaram com a importância da detecção precoce. Em relação à prática 94% afirmaram realizar busca ativa dos casos. Conclui-se dessa forma que os enfermeiros apresentaram conhecimento regular, atitude e prática adequada, sendo de suma importância a atuação desses profissionais no diagnóstico e tratamento da hanseníase. Enfatiza-se assim a necessidade de realizar capacitações pautadas nas atualizações do Ministério da Saúde com os profissionais enfermeiros que atuam na assistência primária, visando o diagnóstico precoce em razão do benefício ofertado ao doente, a família e a comunidade, promovendo qualidade de vida para a população.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Nota Técnica nº 4/2020-CGDE/DCCI/SVS/MS. Ampliação de uso da clofazimina para Hanseníase paucibacilar no âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2020.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretária de Vigilância em Saúde. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. Boletim Epidemiológico: Hanseníase 2022. Brasília: Ministério da Saúde, 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Guia de Vigilância em Saúde: volume único. 3. ed. Brasília (DF): Ministério da Saúde, 2019.

BRITO, K. K. G. et al. Attitude and self-care practice in hansens disease: construction and psychometric validation of measuring instruments. Rev Enfermería Global, v. 20, n. 4, p. 567-583, 2021.

CARVALHO, L. K. C. A. A. et al. Capacitação de enfermeiros na Estratégia Saúde da Família: análise do processo de evolução permanente para o Sistema Único de Saúde. Revista Nursing, v. 21, n. 247, p. 2506-2512, 2018.

COIMBRA, M. M. A. et al. Orientação aos Contatos Intradomiciliares dos Pacientes com Hanseníase. Revista Pleiade, v. 13, n. 27, p. 53-58, 2019.

COLUCI, M. Z. O.; ALEXANDRE, N. M. C.; MILANI, D. Construção de instrumentos de medida na área a saúde. Cienc Saúde Coletiva, v. 20, n. 3, p. 925-936, 2015.

FARIAS, A. V. et al. Leprosy: quality of care provided by nurses of basic attention. Brazilian Journal of Development, v. 4, n. 1, p. 296-313, 2021.

FEMINA, L. L. et al. Contatos domiciliares: informações encontradas nos prontuários e nas entrevistas com caso índice de hanseníase. Revista Brasileira de Pesquisa em Saúde, v. 21, n. 3, p. 85-92, 2019.

FERREIRA, I. N. Um breve histórico da hanseníase. Rev Multidisciplinar, v. 16, n. 1, p. 436-454, 2019.

FIGUEIREDO, P. V.; HEINEN, R. C. Poliquimioterapia no tratamento da hanseníase. Revista Saúde Física & Mental, v. 5, n. 2, p. 56-69, 2018.

GOIABEIRA, Y. N. L. A. et al. Programa de controle da hanseníase em capital hiperendêmica: uma avaliação operacional. Rev Baiana de Enfermagem, v. 32, n. 1, p. e25144, 2018.

LEITE, T. R. C. et al. Ações de controle da hanseníase na atenção primária à saúde: uma revisão integrativa. Vitalle – Revista de Ciências da Saúde, v. 32, n. 3, p. 175-186, 2020.

MASCARENHAS, J. M. F. et al. A importância das ações realizadas pelo enfermeiro no controle da hanseníase: revisão integrativa. Revista de Casos e Consultoria, v. 12, n. 1, p. e25619-e25619, 2021.

MONTALVÃO, L. M. et al. Diagnóstico e tratamento da hanseníase. Revista Faipe, v. 8, n. 1, p. 72-84, 2018.

MOREIRA, A. S. et al. Nurses performance in leprosy control actions in primary health care: integrative review. Diversitas Journal, v. 6, n. 4, p. 3844-3859, 2021.

OLIVEIRA, M. L. C. et al. Conhecimento, atitude e prática: conceitos e desafios na área de educação e saúde. RESU - Revista Educação em Saúde, v. 8, n. 1, p. 191-198, 2020.

PALÁCIO, M. A. V.; TAKENAMI, I.; GONÇALVES, L. B. B. O ensino sobre Hanseníase na graduação em saúde: limites e desafios para um cuidado integral. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 43, n. 1, p. 260-270, 2019.

PROPÉRCIO, A. N. A. et al. The Treatment of Leprosy from na Integrative Review. Brazilian Journal of Health Review, v. 4, n. 2, p. 8076-8101, 2021.

SANTANA, E. M. F. et al. Deficiências e incapacidades na hanseníase: do diagnóstico à alta por cura. Revista Eletrônica de Enfermagem, v. 20, n. 1, p. 1-11, 2018.

SOUZA, A. C.; ALEXANDRE, N. M. C.; GUIRARDELLO, E. B. Propriedades psicométricas na avaliação de instrumentos: avaliação da confiabilidade e da validade. Epidemiol. Serv. Saúde, v. 26, n. 3, p. 649-659, 2017.

VIANA, L. S. et al. El aspecto físico y las repercusiones em la calidad de vida y autonomía de personas mayores afectadas por la lepra, Enfermería Global, v. 16, n. 2, p. 336-374, 2017.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Global leprosy update, 2020: impact of COVID-19 on global leprosy control. Weekly Epidemiological Record, Genebra, v. 36, n. 1, p. 421-44, 2020.

Downloads

Publicado

16-05-2024

Como Citar

DIAS, S. M. .; CARRIJO, M. V. N.; CIOFFI, A. C. de S. CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DE ENFERMEIROS ACERCA DA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DA HANSENÍASE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA. Revista Expressão Católica Saúde, [S. l.], v. 9, n. 1, p. 5–15, 2024. DOI: 10.25191/recs.v9i1.663. Disponível em: http://publicacoes.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/recs/article/view/663. Acesso em: 21 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Originais